Log in
Redação

Redação

URL do site: http://www.nossomundo.net

15ª CineBH anuncia a seleção de 90 filmes nacionais e internacionais de 17 países

Entre os 90 filmes selecionados da 15a CineBH - Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, estão títulos históricos e pré-estreias nacionais e internacionais divididos em nove mostras temáticas

Em sua 15aedição, a ser realizada entre os dias 28 de setembro e 3 de outubro, a CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte será, pela segunda vez, em plataforma virtual, em função da pandemia de Covid-19. Assim, o público de todo o Brasil e de qualquer lugar do mundo poderá assistir gratuitamente a vasta programação de filmes (longas, médias e curtas-metragens) que será disponibilizada ao longo do evento. É só acessar www.cinebh.com.br e escolher os filmes que quer assistir.

A curadoria contou com os trabalhos de Pedro ButcherFrancis Vogner dos ReisMarcelo Miranda e Paula Kimo. Este ano serão exibidos 90 títulos - 31 longas, 1 média, 56 curtas e 2 work in progress, com produções e coproduções de 12 estados do Brasil (AL, BA, CE, DF, MG, MT, PE, RJ, RR, RS, SC e SP) e de 17 países (Alemanha, Argentina, Brasil, Espanha, EUA, Finlândia, França, Índia, Israel, Itália, Portugal, Reino Unido, Romênia, Rússia, Qatar, Turquia e Uruguai) em recortes que, na maioria, dialogam com a temática central, “Cinema e Vigilância” (leia mais sobre a temática aqui).
 
“É um trabalho de prospecção, de encontrar filmes que tenham o frescor da novidade e que ao mesmo tempo tenham relação com as ideias que estamos propondo. Não definimos os filmes a partir do conceito, mas naturalmente, durante a seleção, chama a atenção quando essa conexão acontece”, diz Francis Vogner. “Essa questão da tecnologia usada para controle social e político está muito presente em toda a história do cinema, desde Chaplin e desde ‘Mabuse’, e nunca saiu de cena. O que aconteceu foi que, mais recentemente, os dispositivos, os algoritmos, o uso dessa máquina virtual, se amplificaram e atingem a todos nós, e o cinema tem respondido a isso de forma crítica e contundente”.

Dividindo-se tanto por formatos e duração dos filmes quanto em sessões relacionadas ao tema ou a grupos de produções que seguem propostas previamente apresentadas, a CineBH em 2021 está assim configurada na programação de filmes:

MOSTRA TEMÁTICA
Aqui estão reunidos 13 títulos que dialogam diretamente com a ideia de “Cinema e Vigilância”, conforme destaca o curador Pedro Butcher: “São filmes que põem em xeque o sentido de controle proporcionado pelos dispositivos e pelas grandes empresas capitalistas e mostram de que forma esses mecanismos são utilizados desde situações do dia a dia e chegando até situações de guerra e de ataque ao planeta e às suas populações”. Os filmes da Mostra Temática incluem pré-estreias nacionais, como “Cena do Crime” (Pedro Tavares, RJ), e “Auto de Resistência” (Natasha Neri e Lula Carvalho, RJ), e estrangeiras, como “Canções Engarrafadas 1-4” (Kevin B Lee e Chloe Galibert-Laîné, Alemanha/França), “Não Haverá Mais Noite” (Éléonore Weber, França) e “Toda Luz em Todo Lugar” (Theo Anthony, EUA), entre outros.

MOSTRA FORENSIC ARCHITECTURE
Dois dos programas são realizações do destaque internacional da CineBH este ano, o Forensic Architecture, coletivo multidisciplinar e multiartístico, cujo trabalho se expande de galerias de arte a julgamentos de crimes contra a humanidade e o meio ambiente: “O Assassinato de Harith Augustus”, que será apresentado logo na noite de abertura da mostra - composto por seis curtas complementares, formando um grande painel de reflexão e provocação; e “Nuvens tóxicas”, que inclui dois curtas e um média realizados pelo grupo.

MOSTRA CONTEMPORÂNEA INTERNACIONAL
A Mostra Contemporânea Internacional reúne cinco filmes em pré-estreia e fortemente conectados ao conceito de “Cinema e Vigilância” proposto pela curadoria. Em todos eles, de formas diversas, surgem as contradições de um mundo muito prático nas relações com máquinas e dispositivos e que se vê também sob controle desses mecanismos. Do pesadelo distópico de “Nas Sombras” (Erdem Tepegöz, Turquia) ao esquisito pastiche de reality show “Na Casa do Diretor” (Mark Isaacs, Reino Unido), passando pelo olhar sempre brutal do consagrado documentarista israelense Avi Mograbi (“Ocupação”, França/ Finlândia/ Israel/ Alemanha), das questões familiares de uma burocracia positivista em “Um Rifle e uma Bolsa” (Isabella Rinaldi, Índia/ Romênia/ Itália/ Qatar) e a atenção de um cineasta a um amigo na epopeia intimista “Eu Ando sobre a Água” (Khalik Allah, EUA). Além disso, serão exibidos dois filmes do cineasta argentino Federico Veiroj, que participará do CineMundi Lab ministrando a Masterclass Internacional "Roteiro e Processos de Criação".

MOSTRA CONTEMPORÂNEA BRASIL
Na Mostra Contemporânea Brasil, quatro longas e 16 curtas-metragens apresentam um panorama de urgência da produção nacional, com muitos trabalhos recém-finalizados em plena pandemia e outros que estiveram sendo preparados e foram pegos de surpresa quando 2020 chegou, alterando quaisquer expectativas. Os longas trazem novidades que também contêm paralelos com a temática de “Cinema e Vigilância”, ainda que não sejam diretamente conectados a ela: “Um Dia Qualquer” (Pedro Von Kruger, RJ), “Desaprender a Dormir” (Gustavo Vinagre, SP), “A Primeira Noite de Joana” (Cristiana Oliveira, RS) e “Nós, Passarinhos” (Antonio Fargoni, SP). Os curtas estão divididos em quatro sessões cujos títulos são autoexplicativos: “Brasil de agora”, “Geometrias do espaço”, “Medo e delírio” e “Visões adiante”.

MOSTRA BRASIL CINEMUNDI
Formada por longas-metragens cujos projetos, em edições anteriores da CineBH, participaram do programa Brasil CineMundi, maior encontro de coprodução do país. A seleção da Mostra Brasil CineMundi conta com vários cases de títulos que circularam internacionalmente e que vêm recebendo reconhecimento e premiações, como “A Febre” (Maya Da-rin, Brasil/ Alemanha/ França), “A Morte Habita à Noite” (Eduardo Morotó, SP/ PE), “Aos Olhos de Ernesto” (Ana Luisa Azevedo, RS), “Carro Rei” (Renata Pinheiro, PE), “Desterro” (Maria Clara Escobar, Brasil/ Argentina/ Portugal) e “Todos os Mortos” (Marco Dutra e Caetano Gotardo, Brasil/ França).

MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO
Com curadoria de Paula Kimo, a Mostra A Cidade em Movimento é composta por 20 filmes realizados de forma totalmente independente em Belo Horizonte e região metropolitana. Sob a temática este ano “Cidade (em) comum”, os títulos foram divididos em cinco seções, cada uma delas fazendo um recorte distinto das várias formas de enxergar e se relacionar com o espaço urbano através do audiovisual. Leia mais aqui.

MOSTRA DIÁLOGOS HISTÓRICOS
Assim como a CineBH exibe um recorte significativo da produção contemporânea mundial, a Mostra Diálogos Históricos tem por objetivo relacionar o que se vê hoje com aquilo feito no passado. Conectada à temática “Cinema e Vigilância”, a Diálogos Históricos tem em 2021 três longas-metragens fundamentais, que contarão com bate-papo com profissionais para acompanhar cada sessão. Serão: “Aelita, Rainha de Marte” (Yakov Protazanov, 1924, Rússia), comentado pelo pesquisador João Lanari; “O Testamento do Dr. Mabuse” (Fritz Lang, Alemanha, 1933), com comentários do crítico Inácio Araújo; e “O 5º Poder” (Alberto Pieralisi, Brasil, 1962), comentado pelo pesquisador Reinaldo Cardenuto.

CINE-ESCOLA E MOSTRINHA
Espaço para a formação de novos espectadores de cinema, em programas especialmente pensados para atender escolas, estudantes ou famílias. Nas sessões Cine-Escola, os títulos são selecionados de acordo com faixa etária, com orientações de classificação indicativa a professores e educadores. Já na Mostrinha, estão os curtas "Trincheira" (Paulo Silver, AL) e "Torcida Única" (Catarina Forbes, SP) e o longa "Miúda e o Guarda-Chuva" (Amadeu Alban, BA), produções que vão agradar a toda a família.

CONFIRA A LISTA COMPLETA DE FILMES EM EXIBIÇÃO NA 15aCINEBH

MOSTRA TEMÁTICA
Auto de Resistência, Natasha Neri E Lula Carvalho (RJ)
Canções Engarrafadas 1-4, Kevin B Lee E Chloe Galibert-Laîné (França)
Cena do Crime, Pedro Tavares (RJ)
Circuito Hackeado, Deborah Stratman (EUA)
Coração de Cachorro, Laurie Anderson (EUA)
Fala Cassandra, Miguel Antunes Ramos (SP)
Não Haverá Mais Noite, Eleonore Weber (França)
Memórias da Terra (Wip), Paulo Tavares (DF)
Nunca é Noite no Mapa, Ernesto de Carvalho (PE)
O Monopólio da Violência, David Dufresne (França)
Pode O Sol Mentir?, Susan Schuppli (Reino Unido)
Toda Luz em Todo Lugar, Theo Anthony (EUA)
Transformers - O Premake, Kevin B Lee (EUA)
 
MOSTRA FORENSIC ARCHITECTURE
Estudos de Nuvens, Forensic Architecture (Reino Unido)
Gás Lacrimogêneo em Plaza dla Dignidad, Chile, Forensic Architecture (Reino Unido)
O Assassinato de Harith Augustus: Anos, Forensic Architecture (Reino Unido)
O Assassinato de Harith Augustus: Dias, Forensic Architecture (Reino Unido)
O Assassinato de Harith Augustus: Horas, Forensic Architecture (Reino Unido)
O Assassinato de Harith Augustus: Milissegundos, Forensic Architecture (Reino Unido)
O Assassinato de Harith Augustus: Minutos, Forensic Architecture (Reino Unido)
O Assassinato de Harith Augustus: Segundos, Forensic Architecture (Reino Unido)
Se o ar Tóxico é um Monumento à Escravidão, como o Derrubamos? Forensic Architecture (Reino Unido)
 
MOSTRA DIÁLOGOS HISTÓRICOS
Aelita, Rainha de Marte, Yakov Protazanov (Rússia)
O Quinto Poder, Alberto Pieralisi (Brasil)
O Testamento do Dr. Mabuse, Fritz Lang (Alemanha)
 
MOSTRA CONTEMPORÂNEA INTERNACIONAL
A Casa do Diretor, Mark Isaacs (Reino Unido)
Así Hablo el Cambista, Federico Veiroj (Uruguai / Argentina / Alemanha)
Eu Ando Sobre a Água, Khalik Allah (EUA)
La Vida Util - Um Conto de Cinema, Federico Veiroj (Uruguai / Espanha)
Na Sombras, Erdem Tepegöz (Turquia)
Os Primeiros 54 Anos - Pequeno Manual para Ocupação Militar, Avi Mograbi (França, Finlândia, Israel, Alemanha)
Um Rifle e uma Bolsa, Cristina Haneș, Isabella Rinaldi, Arya Rothe (Índia/ Romênia/ Itália/ Qatar)
 
MOSTRA CONTEMPORÂNEA BRASIL - LONGAS
Um Dia Qualquer, Pedro Von Kruger (RJ)
Desaprender a Dormir, Gustavo Vinagre (SP)
Nós, Passarinhos, Antonio Fargoni (SP)
A Primeira Noite de Joana, Cristiana Oliveira (RS)
 
MOSTRA CONTEMPORÂNEA | SESSÃO CINEMUNDI
A Febre, Maya Da-Rin (Brasil, Alemanha, França)
A Morte Habita à Noite, Eduardo Morotó (SP/PE)
Aos Olhos de Ernesto, Ana Luiza Azevedo (RS)
Carro Rei, Renata Pinheiro (PE)
Desterro, Maria Clara Escobar (Brasil/Argentina/Portugal)
Por Onde Anda Makunaíma?, Rodrigo Séllos (RR/ SP)
Todos os Mortos, Caetano Gotardo e Marco Dutra (Brasil/França)
 
MOSTRA CONTEMPORÂNEA BRASIL - CURTAS
A8, Lúcio Branco (RJ)
Afetadas, Jean (PE)
Algoritmo, Thiago Foresti (DF)
Bicho, Ian Capillé (RJ)
Construção duma Vista, Fábio Andrade (RJ)
Contorno, Fábio Andrade (RJ)
Floresta Espírito, Clara Chroma (SP)
Inabitável, Matheus Farias & Enock Carvalho (PE)
Medo da Chuva em Noite de Frio, Victor Hugo Fiuza (RJ)
Modo Noturno, Calebe Lopes (BA)
Muriel, João Pedro Faro (RJ)
Os Pilotos do Plano, Bruna Lessa (SP)
Per Capita, Lia Letícia (PE)
Portugal Pequeno, Victor Quintanilha (RJ)
Rafameia, Mariah Teixeira e Nanda Félix (PB)
Sem Título # 7: Rara, Carlos Adriano (SP)
 
MOSTRA A CIDADE EM MOVIMENTO
[O Vazio Que Atravessa], Fernando Moreira (MG)
A Única Coisa Que Entendo Como Norte é a Liberdade, Luciana Cezário (MG)
Amador, Cris Ventura (MG)
Aurora, Leo Ayres (MG)
Casa Número Zero, Breno Mesquita (MG)
Cidade Analógica, Eduardo DW e Álvaro Starling (MG)
Coletivo, Wend Fernandes (MG)
Conselheira, Rafael Bacelar (MG)
Dinheiro, Sávio Leite e Arthur B. Senra (MG)
Ditadura Roxa, Matheus Moura (MG)
Dois, Guilherme Jardim e Vinícius Fockiss (MG)
Ela, Dora!, Franco Dafon e Renata Victoriano (MG)
Escorre, Thiago Monteiro & Kelly Crifer (MG)
Eu vi nos seus olhos, da janela, eu vi, que era o fim, Larissa Muniz (MG)
Morde & Assopra, Stanley Albano (MG)
O Resto, Pedro Gonçalves Ribeiro (MG)
Opção do Tomo, Antônio Beirão Xavier (MG)
Sessão 27, Haendel Melo (MG)
Um de Vermelho e ude Amarelo, Lipe Canêdo, GM & Fr4ad (MG)
Urdido, Samuel Quintero (MG)
 
SESSÃO CINE-ESCOLA
A Menina e o Velho, Luciano Fucinato (SC)
Ana & Copacabana, Edem Ortegal (RJ)
Atravessa a Vida, João Jardim (RJ)
Mensagem das Estrelas, Ariel Pereira Quintela (SP)
O Menino e o Ovo, Juliana Capilé (MT)
O Meu Bichinho de Estimação, Jaqueline Dulce Moreira (MG)
Raone, Camila Santana (SP)
Vento Viajante, Os Alunos / Analúcia Godoi (CE)
 
MOSTRINHA
Miúda e o Guarda-Chuva, Amadeu Alban (BA)
Torcida Única, Catarina Forbes (SP)
Trincheira, Paulo Silver (AL)
 
SOBRE A MOSTRA CINEBH
Com edições anuais e consecutivas, a CineBH - Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, o evento de cinema da capital mineira, chega a sua 15a edição de 28 de setembro a 03 de outubro de 2021, em formato online e gratuita, reafirmando seu propósito de mostrar o cinema para o mundo, promover o diálogo entre as culturas, aproximar povos e continentes, fazer a conexão do cinema brasileiro com o mercado audiovisual, realizar encontros de negócios, investir na formação, intercâmbio e cooperação internacional, construir pontes nas escolas, comunidades, redes sociais e com a cidade de Belo Horizonte e Minas Gerais.

A 15aCineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte e o 12oBrasil CineMundiintegram o Cinema sem Fronteiras 2021 – programa internacional de audiovisual idealizado pela Universo Produção e que reúne também a Mostra de Cinema de Tiradentes (centrada na produção contemporânea, em janeiro) e a CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto (que difunde o audiovisual como patrimônio e ferramenta de educação, em junho).
 

ATENÇÃO:
Convidamos você para seguir a Universo Produção/CineBH/Brasil CineMundi nas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que vai acontecer nos bastidores dos eventos e receber notícias e conteúdos exclusivos. Canais e endereços:
Acompanhe o programa Cinema Sem Fronteiras 2021
Participe da Campanha #EufaçoaMostra
Na Web: www.cinebh.com.br / www.brasilcinemundi.com.br
No Instagram: @universoproducao No Youtube: Universo Produção No Twitter: @universoprod
No Facebook: brasilcinemundicinebh / universoproducao No LinkedIn: universo-produção
 
SERVIÇO
15a CINEBH- MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA DE BELO HORIZONTE
BRASIL CINEMUNDI -
12th INTERNATIONAL COPRODUCTION MEETING
28 de setembro a 03 de outubro de 2021
 
LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA
ESTE EVENTO É REALIZADO COM RECURSOS DA LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA DE BELO HORIZONTE
Patrocínio: MATER DEI, CEMIG | GOVERNO DE MINAS GERAIS
A Mostra A Cidade em Movimento é patrocinada com recursos do Fundo Internacional de Ajuda para Organizações de Cultura e Educação 2021 do Ministério das Relações Exteriores da República Federal da Alemanha, do Goethe-Institut e de outros parceiroswww.goethe.de/hilfsfonds
Parceria Cultural: SESC EM MINAS, GOETHE INSTITUT
Apoio: EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL, INSTITUTO UNIVERSO CULTURAL, CASA DA MOSTRA E CAFÉ 3 CORAÇÕES.
Idealização e realização: UNIVERSO PRODUÇÃO
SECRETARIA ESPECIAL DE CULTURA | MINISTÉRIO DA CIDADANIA| GOVERNO FEDERAL

Como Neymar Jr impactou os números do futebol francês?

Diretor da Ligue 1 detalha boom nas redes sociais, visibilidade e aumento de receita após a chegada do craque

 
A capacidade natural de Neymar Jr de atrair até mesmo a atenção de torcedores rivais desde os tempos de Santos tem se tornado cada vez mais evidente no mercado do futebol. No entanto, o impacto positivo que o atleta causa tem alcance global dentro e fora das quatro linhas.

O dado mais recente é da própria Liga Futebol Profissional da França, detalhado em entrevista ao neymarjr.com. A chegada de Neymar Jr ao Paris Saint-Germain em 2017 resultou na mudança de patamar do campeonato nacional, ampliou contratos de direitos de transmissão pelo mundo e ainda gerou uma verdadeira explosão de novos seguidores para Ligue 1 nas redes sociais.

Paris Saint-Germain
 
“Na verdade, a Ligue 1 experimentou um forte crescimento nas mídias sociais no verão de 2017. Agosto de 2017 foi o melhor mês para o crescimento digital da Ligue 1 até janeiro de 2019 (desde então acelerou). O Brasil é agora a segunda maior comunidade internacional de fãs da Ligue 1, depois da China”, explica Yoann Godin, diretor de desenvolvimento internacional da Liga de Futebol Profissional da França.

Yoann Godin, diretor de desenvolvimento internacional da LFP
 
Direitos de transmissão
Como já era esperado, os benefícios de um jogador da qualidade de Neymar Jr vão além do clube em que ele joga. Outros times da Liga também ganharam com marketing, visibilidade e puderam ampliar seu faturamento.

“O maior impacto na receita foi experimentado por meio de nosso acordo de transmissão nacional e do crescimento da audiência nacional e internacional. Todos os clubes também experimentaram estádios lotados quando jogaram contra o PSG de Neymar. Também acreditamos que a chegada de Neymar foi benéfica para a imagem da Ligue 1 em geral e nos ajudou aumentar as receitas de forma mais indireta”, acrescenta o diretor.
 
 
Na temporada passada (2020/21) a Ligue 1 foi transmitida por 55 emissoras em 219 territórios. Godin afirma que novos acordos de transmissão estão sendo finalizados e esse número deve aumentar para atual temporada (2021/22). “O maior público fora da França vem da China e da África Subsaariana. 180 milhões de espectadores únicos assistiram à Ligue 1 na China na última temporada”, exemplifica.

Novos mercados
 
Foto: PSG
 
Nos últimos anos empresas de consultoria também destacaram o crescimento comercial do PSG atrelado à contratação de Neymar Jr. O interesse dos fãs pelo atleta fora da França vai de encontro ao impacto notado pela direção da Liga Francesa. “Quando ele ingressou no PSG, nosso público internacional cresceu dramaticamente em alguns territórios como a China”.
 
Godin completa: “Neymar Jr sendo um dos maiores talentos brasileiros da história do país, seu impacto foi obviamente diferente. Principalmente porque ele é um ícone global e sua popularidade vai muito além do Brasil. Até porque Neymar Jr adotou os padrões de comunicação atuais, principalmente nas redes sociais, o que obviamente não era possível para grandes estrelas como Ronaldinho ou Raí”.

Para os próximos anos, Godin acredita que mesmo com a Premier League (Inglaterra) e a La Liga (Espanha) ainda em destaque, a Ligue 1 está cada vez mais forte no cenário do futebol mundial, reunindo jogadores talentosos em um país duas vezes campeão do mundo e a histórica marca “France”.

A sustentável beleza de Itacaré

Entre o mar e a Mata Atlântica, esse trecho privilegiado do litoral baiano guarda uma área preservada, repleta de praias, rios, cachoeiras e um mar cristalino visitado anualmente pelas baleias Jubarte

Com praias belíssimas, rios e cachoeiras em uma área preservada de Mata Atlântica, Itacaré, no Sul da Bahia, é o destino dos sonhos para quem busca o turismo sustentável. A uma hora de Ilhéus, a mini capital da Costa do Dendê tem inúmeras atrações de natureza no seu entorno, além de um centrinho vibrante, que é o ponto de encontro dos visitantes, principalmente à noite. 

Descoberta pelos surfistas, Itacaré, atualmente oferece muito mais do que boas ondas. Seu conjunto formado por praias, matas, rios, cascatas e manguezais tornou a região um dos mais badalados destinos de ecoturismo do país, com diversas trilhas, opções de atividades aquáticas e a avistagem de baleias Jubarte. 
 
Entre os meses de julho e outubro, as baleias migram para a costa brasileira em busca de águas mais quentes para se reproduzirem. Antes ameaçadas de extinção e avistadas somente em Abrolhos, a recuperação gradual da população fez com que elas retornassem à costa do Nordeste e Sudeste, com a Bahia abrigando o maior número durante sua temporada de reprodução. 
 
Para aprender mais sobre essa espécie tão especial, os turistas podem conhecer a Ilha Interpretativa da Baleia Jubarte, nas dependências do Eco Beach Club, na Praia da Concha, uma das mais centrais. Ali, há painéis educativos e partes do esqueleto e uma réplica da cauda de uma baleia encontrada na região. No canto esquerdo da Praia da Concha, a Ponta do Xaréu é também um dos melhores lugares para ver o pôr-do-sol, entre barcos de pescadores e a linha do mar. 
 
O mar e a Mata Atlântica emolduram todas as atividades, boa parte delas recomendadas com o acompanhamento de guias, pois as praias mais distantes são quase desertas, com acesso por trilhas. Algumas trilhas cortam fazendas, revelando riachos, cachoeiras e costões. As caminhadas são de nível médio e a que leva à Prainha, partindo da praia da Ribeira, é considerada uma das mais bonitas da região.
 
Quem curte esportes de aventura e atividades aquáticas pode também praticar caiaque, rafting e canoagem nas corredeiras dos rios de Contas e de Tijuípe e nas praias centrais, como Concha, Resende e Tiririca.
 
Hospedagem sustentável
 
Para quem quer aliar as atividades a uma hospedagem sustentável, o Itacaré Eco Resort é um dos hotéis mais exclusivos. Dois rios cristalinos, o Canoeiro e o Mãe Josepha, atravessam o resort, que também fica a 100 metros da pequena Praia de São José, com acesso privilegiado para os hóspedes. 
 
No Rio Canoeiro, há uma trilha com sete quedas e um leito onde os hóspedes podem praticar atividades como SUP e caiaque. O Rio Mãe Josepha, por sua vez, deságua na piscina do hotel, de água mineral litinada, mais um diferencial do Itacaré Eco Resort. 
 
Como não poderia deixar de ser, o resort foi concebido dentro de uma proposta de sustentabilidade, mantida pela proprietária, Renilce Cavalcanti, “ambientalista e natureba”, como ela mesma se autodefine. “Não interfiro na natureza, vou criando caminhos, guardando o respeito ao rústico”, diz Renilce. 

É o caso da nova trilha para a praia, florida e forrada de grama esmeralda, a mais brilhante e resistente ao sol. A Prainha, reduto dos surfistas, também fica a uma curta caminhada do hotel. Há ainda um deck que leva ao encontro do Rio Canoeiro, com o mar, onde forma-se uma incrível piscina natural em meio às rochas, revelando a beleza selvagem e sustentável de Itacaré. 

5 dicas de iluminação para deixar a casa mais confortável

Especialista ajuda a escolher iluminação adequada para cada ambiente

O longo período de quarentena provocado pela pandemia do coronavírus mudou a relação do brasileiro com o lar. “As pessoas ficaram mais tempo em casa e passaram a investir em artigos que antes eram considerados supérfluos. A decoração recebeu atenção especial e o setor foi um dos poucos que cresceram em 2020 e deve continuar em alta em 2021”, comenta Adriane Mori Miguel, empresária do setor de decoração.

Parte do conforto de uma casa é garantido pela escolha da iluminação adequada para cada tipo de ambiente. Ela é imprescindível para tornar o espaço mais aconchegante, relaxante ou produtivo. “O foco no bem-estar levou as pessoas a procurarem projetos luminotécnicos para maximizar os benefícios da iluminação”, completa Adriane, que se especializou no mercado de iluminação.

Segundo ela, saber escolher o tipo de lâmpada, a forma de iluminação e até mesmo o lustre fazem toda diferença de acordo com a funcionalidade de cada ambiente. “Em áreas como quarto e sala, luzes mais amareladas e iluminação indireta ajudam na sensação de relaxamento. Em áreas como o banheiro e cozinha, a iluminação branca é importante para dar mais funcionalidade ao cômodo”, diz.

Setor de móveis e decoração cresceu mesmo em meio a pandemia (Depositphotos)

Para a área de trabalho é indicada uma cor neutra de lâmpada. “A luz branca é muito estimulante e cansa a visão, a amarela relaxa demais e reduz a produtividade. É imprescindível, também que a iluminação esteja direcionada para a mesa de trabalho”, explica.

Em tempos de ameaças de apagão e crise energética, o projeto luminotécnico deve ser construído de forma a aproveitar toda a luz natural existente no imóvel. “Luzes indiretas e o uso do dimmer, que permite regular a intensidade de luz, são algumas das tendências mais buscadas pelos consumidores. Lustres no estilo industrial, mais modernos, com cores mais neutras, cristais e feitas de materiais naturais são outros item buscados em projetos de iluminação”, completa.
 
Protagonismo
 
Segundo Adriane, os lustres ocupam cada vez mais lugar de protagonismo na decoração. “Tanto que nossa loja participa da Campinas Decor com um lustre de 1,80 metro e que pesa 100 kg em um dos banheiros do prédio do Cotuca. Esses objetos transformam ambientes, garantem personalidade e charme aos espaços”, completa.
 
A Campinas Decor acontece de 3 de setembro a 2 de novembro no antigo prédio do Cotuca, que fica na Rua Culto a Ciência, 177, Botafogo.
 
Esse, no entanto, não é o maior lustre que a loja comercializa. “Temos opções com cerca de 4 metros e que chegam a ter 42 braços. O portfólio é variado e há opções para todos os estilos e bolsos”, afirma.
 

O tipo de lâmpada e a forma de iluminação influenciam na funcionalidade de um cômodo (Depositphotos)
 
Dados do setor
Segundo estudo da Federação de Comércio de Bens, Serviços e Turismo de São Paulo (FecomercioSP), o setor de móveis e decoração faturou R$ 13,2 bilhões em 2020, uma alta de 13,5% em relação a 2019. A construção civil cresceu 19,8%, com um faturamento de R$ 67 bilhões em 2020.
 
Dicas de iluminação para ter uma casa aconchegante:
- Uso de dimmer traz conforto e aconchego
- Aproveite ao máximo a luz natural
- Home office pede lâmpada de cor neutra para garantir produtividade
- Direcione a iluminação para a área de trabalho, seja no escritório ou cozinha
- Luzes amareladas devem ser usadas na sala e quarto
 

Adriane Mori Miguel é empresária do setor de iluminação e decoração
Assinar este feed RSS

Banner 468 x 60 px