Log in
Educação

Educação (3)

FEMAMA ilumina Arena do Grêmio e Estádio Beira-Rio no Dia Mundial do Câncer

Como parte da campanha "Eu sou e Eu vou", entidade responde perguntas de pacientes sobre a vacinação contra o coronavírus, faz live com especialistas e ilumina pontos pelo Brasil

O Dia Mundial do Câncer é celebrado no dia 4 de fevereiro, quando o mundo todo se une realizando diversas ações com o objetivo de reduzir o impacto global da doença. Aqui no Brasil, a FEMAMA, sua rede de 70 ONGs associadas, Instituto Oncoguia, Melanoma Brasil e Projeto Camaleão dão às mãos e conduzem o último ano da campanha trianual “Eu sou e eu vou” promovida pela União Internacional de Controle do Câncer (UICC).

Como parte da campanha de conscientização, a entidade criou o hotsite diamundialdocancer.femama.org.br/2021 com conteúdos a respeito de fatores de risco, tipos de câncer mais incidentes e formas de engajamento. Outra ação da campanha é a live “Vacinação COVID-19: como ficam os pacientes com câncer?”, que será realizada no dia 04 de fevereiro, às 17h, em seu canal da FEMAMA, baseadas nas dúvidas de pacientes que a entidade respondeu também em seu site.

“Reunimos nosso time de especialistas do Comitê Científico-Técnico da FEMAMA para auxiliar a comunidade do câncer a entender como agir em relação à vacina contra a Covid-19. Os pacientes não precisam ter medo”, destaca Dra. Maira Caleffi, mastologista e presidente voluntária da FEMAMA.

Para disseminar a mensagem de que o diagnóstico precoce ainda é a melhor ferramenta contra o câncer – a segunda principal causa de morte em todo o mundo – a FEMAMA também ilumina diversos pontos pelo Brasil com as cores azul e laranja, que marcam a campanha do Dia Mundial do Câncer. Muitos são ligados ao esporte, já que atividade física é uma das ações que diminuem os fatores de risco da doença.

Em Porto Alegre, onde fica a FEMAMA, o azul e o laranja vão iluminar a Arena do Grêmio, Estádio Beira-Rio e a Ponte do Guaíba. Em Canela, também no Rio Grande do Sul, quem recebe iluminação é a turística Catedral de Pedra. A Ponte Estaiada, em Teresina (PI), fecha a lista.

Dia Nacional da Mamografia: diagnóstico precoce para câncer de mama

Outra data importante para o câncer em fevereiro é dia 5, em que o Brasil celebra o Dia Nacional da Mamografia, destacando a importância de se fazer o exame de detecção precoce do câncer de mama. A doença, quando detectada no início, tem chances de cura de até 95%.

“Uma em cada 12 mulheres terá câncer de mama no Brasil, sendo 66 mil novos casos previstos para o ano de 2021. Precisamos incentivar o diagnóstico precoce para salvar milhares de mães, esposas, filhas e amigas. Cuidar de si mesmo e de quem você ama precisa ser um ato diário, o câncer não tem hora e nem dia marcado para acontecer”, destaca Caleffi.

A fim de contribuir para que o autocuidado seja uma prática diária, a FEMAMA resgata a campanha “3 perguntas que salvam”, que incentiva homens, mulheres e jovens o tomarem uma atitude prática perguntando para as mulheres que amam:

  1. Você tem observado suas mamas?
  2. Você já marcou seus exames anuais?
  3. Você conhece seus fatores de risco?

DIA MUNDIAL DO CÂNCER (4/2) – FEMAMA
Sitehttps://diamundialdocancer.femama.org.br/2021
Live: “Vacinação COVID-19 para pacientes com câncer” - 04/02/21, das 17h às 18h, no YouTube
ONGs apoiadoras: Instituto Oncoguia, Melanoma Brasil e Projeto Camaleão
ONGs Rede FEMAMA: AAMA, AAMA Cabo Frio, AAMN, AAMT, AAPCMR, AAPECAN, AAVCEG, ABAC-Luz, ABAMI do Litoral, ABRACE Búzios, ABRAPAC, ACCBC, ACCGD, ADAMA, AFECC, ALARA, ALICC, ALV, AMAJES, AMAR, Américas Amigas, AMI, AMO, AMOVI, AMP, AMUCC, ANLUCC, APCVIDA, APECAN Casa Rosa, APPO, ASFECER, ASPEC, Associação Cascavel Rosa, Associação de Apoio às Vítimas de Câncer no Estado de Goiás, Associação Presente de Apoio a Pacientes Com Câncer - Padre Tiãozinho, CIAM, Elas Por Elas Vozes e Ações das Mulheres, FMCS, Fundação Laço Rosa, GAMA, GAPCCI, GRUMARE, Grupo Despertar, Grupo GAMA, Grupo Rosa e Amor, HUMSOL, IAC, ICC, IDVH, IMAMA, Instituto Avon, Instituto Mulher do Estado do Tocantins, Instituto Protea, Mão Amiga, NASPEC, Nossa Casa, Recomeçar, RFCC AL, RFCC AM, RFCC Blumenau, RFCC Brasília, RFCC Brusque, RFCC Criciúma, RFCC Gaspar, RFCC Içara, RFCC Itajaí, RFCC Jaraguá do Sul, RFCC Maravilha, RFCC PP, RFCC São Bento do Sul, RFCC União da Vitória, RFCC Xaxim, RFECC, Rosa Viva, Toque de Vida, UNACCAM e VIAMAMA

Sobre a FEMAMA

A Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama é uma organização sem fins econômicos que trabalha para reduzir os índices de mortalidade por câncer de mama em todo o Brasil, lutando por mais acesso a diagnóstico e tratamento ágeis e adequados. Com foco em advocacy, a instituição busca influenciar a formação de políticas públicas para defender direitos de pacientes, ao lado de mais de 70 ONGs de apoio a pacientes associadas em todo o país. Conheça o trabalho da FEMAMA: femama.org.br

Marcado sob

Educação financeira, disciplina obrigatória nas escolas, ajuda adquirir bons hábitos desde a infância

Assunto, que foi durante tanto tempo negligenciado na educação, será incorporado no currículo escolar como uma disciplina transversal, capaz de transitar entre várias

Dados da Serasa Experian, em janeiro deste ano, dão conta de que há no Brasil mais de 63 milhões de pessoas inadimplentes -número que aumentou 2,6% em relação ao ano passado-, o que significa que 40,8% da população adulta do país tem dívidas. Os números refletem a falta de consciência em relação ao dinheiro e a defasagem no ensino que não abordou de forma eficaz a questão. Não à toa, relatório divulgado pelo PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) inseriu o Brasil na 17ª posição, no total de 20 países, no ranking de competências financeiras de jovens. Embora a média brasileira tenha melhorado e saltado de 393 para 420, entre uma avaliação e outra, os resultados continuam preocupantes, principalmente se considerarmos que a média geral foi 505 pontos.

Como uma medida para aplacar tal defasagem, o Conselho Nacional de Educação, homologado pelo Ministério da Educação, determinou que a partir de 2020 todas as escolas deveriam incluir entre as competências de ensino a educação financeira de forma transversal, ou seja, nas várias aulas e projetos desenvolvidos pela unidade. A expectativa é que crianças e jovens do Ensino Infantil ao Médio possam absorver melhor o conteúdo de uma maneira prática e entendam a importância de lidar com o dinheiro. Os primeiros resultados já apareceram em uma pesquisa divulgada também pelo Serasa Experian, que revelou que, depois de participar de projetos de educação financeira, um a cada três estudantes afirmou ter aprendido a importância de poupar dinheiro e 24% passaram a conversar com os pais sobre o tema.

Algumas escolas, inclusive, fazem o uso da tecnologia para auxiliar no aprendizado dessas novas competências, como a Luminova, que tem unidades em São Paulo e Sorocaba e tem por objetivo democratizar o acesso à educação de qualidade. “Nós sempre trabalhamos transversalmente o tema e aplicamos em várias áreas, não ficamos restritos à matemática. Usamos a internet como uma grande aliada no processo de aprendizagem. Durante as aulas, por exemplo, os professores podem instigar os alunos a buscar e comparar preços de itens que façam parte da rotina deles, já que entendemos que isso é uma forma de fazer com que eles compreendam como é dada a precificação das coisas e, muitas vezes, até criando um certo policiamento em relação ao que é gasto dentro e fora de casa”, explica Luizinho Magalhães, diretor acadêmico da rede.

Além de recorrer a tecnologia, a escola também explora situações reais e muito atuais, como a atual pandemia causada pelo coronavírus. Por meio do número de infectados em relação ao de habitantes de determinado país ou região, trabalha-se conceitos de porcentagens. Ou ainda, qual o valor de juros composto calculado no parcelamento do carro que usam ou da casa em que vivem. “O importante é que eles vejam na prática esses conceitos e entendam como podem fazer diferente daqui para frente. A educação financeira só valerá se realmente levarmos em conta a realidade na qual os alunos estão inseridos, criando, de fato, uma boa interligação entre eles”, afirma o educador.

A educação financeira ainda é um tema relativamente novo aos docentes, sobretudo se considerarmos que na geração anterior, que hoje leciona, o tema não era debatido em sala de aula. É preciso que as escolas invistam na formação de professores e até mesmo garantam tempo para que os docentes tenham tempo hábil de desenvolver conteúdos interessantes aos alunos. Se antigamente era ensinado adição e subtração usando palitinhos e o quadro negro, hoje é preciso ir além. Contas fixas, como luz, água e gás, cupons fiscais e boletos bancários ganharam às salas de aula e, ao que tudo indica, serão melhor avaliados para, num futuro próximo, ser melhor gerenciados pelas famílias brasileiras.

Sobre Luminova

Com o objetivo de democratizar o acesso à educação de qualidade e promover o crescimento humano e ascensão social, a Luminova, rede de escolas do grupo SEB -Sistema Educacional Brasileiro- inaugurou no final de 2018 as primeiras unidades, em São Paulo e Sorocaba. Projetando expansão por meio de franquias e voltada para os públicos das classes B e C, que representam um contingente de cerca de 42 milhões de crianças e jovens em idade escolar, a Luminova achou um terreno fértil para investir, já que apenas 15% da rede privada atende tal fatia. A mensalidade low cost -de baixo custo-, é possível devido a alta eficiência na gestão escolar, que otimiza tempo, trabalho e estrutura física. Para mais informações: www.escolaluminova.com.br

 

Instituto ITI: há mais de dez anos ONG vem transformando vidas em Minas Gerais

O sonho como como instrumento de transformação. É a partir dessa premissa que uma ONG vem promovendo o desenvolvimento humano, cultural, social e ambiental de uma região.

O Instituto ITI é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 2009. Ele funciona como centro de convergência para o desenvolvimento social e também como referência cultural dos moradores de Itabira e outras cidades mineiras.

Com a missão de criar, qualificar e transferir tecnologias sociais orientadas ao desenvolvimento humano, o Instituto ITI atua no território por meio do fortalecimento da economia criativa, das redes sociais e educativas, da autonomia produtiva, do protagonismo cultural das comunidades, da valorização dos recursos naturais e da biodiversidade.

Tudo isso é feito a partir da energia social estabelecida na confiança da comunidade, através de parcerias públicas e privadas que a instituição conquistou ao longo de sua história.

“Conquistamos o reconhecimento e a valorização dos nossos programas voltados para a educação, preservação ambiental, igualdade de gêneros, erradicação da pobreza, desenvolvimento social e cultural, geração de renda e qualidade de vida” conta Ronaldo Silvestre, presidente do Instituto.

O objetivo é tornar-se referência nacional no desenvolvimento, transferência e reaplicação de tecnologias sociais orientadas ao desenvolvimento social de jovens. Além, é claro, do fortalecimento da economia criativa vinculada aos movimentos culturais.

Ações:

FORMAÇÃO PRA VIDA

Incentivo à leitura e escrita; Educação Ambiental; Valores e Princípios; Educação Financeira; Cidadania

DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO

Empregabilidade, iniciação profissional e geração de renda; Articulação de redes; Famílias - acolhimento, plantão, encontros, visitas

EMPREENDEDORISMO

Formação empreendedora; Projetos empreendedores (jovens e adultos)

ARTES

Cênicas - dança e teatro; Plásticas - pintura, escultura, instalação e arte urbana; Musical - percussão, coral, instrumental

QUALIDADE DE VIDA

Alimentação; Esporte e recreação; Educação Social; Mobilizações de saúde

 

Serviço

https://institutoiti.org.br

Assinar este feed RSS

Banner 468 x 60 px